terça-feira, 17 de julho de 2018

Conhecendo Interlagos! Relato que tarda, mas não falha.

Logo após andar pela primeira vez em Interlagos

E na correria do dia-a-dia a gente acaba deixando passar as coisas, mas não poderia deixar de contar sobre o inesquecível dia em que conheci o templo nacional do nosso automobilismo: o Autódromo de Interlagos!

O impulso para fazer algo que eu queria faz tempo partiu do convite do Ramon Matias, do Super Racing Club (já falei aqui sobre), que teria vários evento lá, este ano. Me convidou para ajudar lá para ajudar, testar os carros, dar alguma instrução para os novatos. Havia marcado para ir em junho, porém a etapa foi cancelada devido à greve dos caminhoneiros.

As naves do Super Racing Club

Em 6 de julho tudo deu certo! Estava lá para conhecer Interlagos na etapa da LDA (Liga Desportiva de Automobilismo) de SP, uma proposta que está trazendo eventos com pista cheia e custo mais baixo para os pilotos, e neste evento o Super Racing Club estava lá para que seus sócios pudessem andar no templo, chegando sem preocupação a não ser sentar e acelerar, com Fiesta, Courier, Palio, protótipos Spyder, Fórmula 1.6, 3 Maserati Trofeo e dois Stock Cars (6cil. e V8).

Com Bragantini e Ceregatti

Com Maurizio Sala e Darcio dos Santos (tio do Rubinho)

Estava eu, com a minha pequena experiência de automobilismo ao lado de monstros como instrutores, Maurizio Sala (disputou 24h de Le Mans com carros lendários como Mazda 787b e Porsche 956 e chegou a testar na Toleman e quase assumiu uma vaga na F1 na equipe para 1987, que virou Beneton), Artur Bragantini (campeão de F-Ford no tempo dos casca grossa, passagem por várias categorias e formou mais de 3200 alunos), Claudio Ceregatti (piloto, engenheiro automotivo e criador da F-Inter) e o próprio Ramon, pilotaço da extinta GT3 Brasil.

Fotografando no "S do Senna" (Foto: Anderson Zambrzycki)

O autódromo encanta! É tudo "mega", arquibancadas gigantes, boxes enormes onde cabem uns 10 carros com folga, uma vista muito bacana da mioleira a partir da torre dos boxes. É estranho estar ao vivo vendo tudo aquilo que passamos anos vendo na TV.

Primeiro umas voltas na carona com o Ramon para conhecer o traçado, e logo depois assumi o cockpit da Ford Courier de corrida! As primeiras e únicas voltas guiando em Interlagos jamais esquecerei! Traçado bastante técnico, que exige que muitas vezes se sacrifique a entrada de uma curva para sair forte na outra, e o retão longo em subida que acaba numa fortíssima freada para mergulhar "lomba abaixo" no "S do Senna". Foram 4 ou 5 voltas que ficarão para sempre na memória. A "picapinha" é divertida de guiar, traseira solta mesmo com pneus slick. Infelizmente não deu tempo de colocar câmera para registrar.

Largada da Hot Cars, a Classic da LDA





As categorias paulistas também encantaram, principalmente a Hot Cars, que equivale à nossa Classic. Carros lindíssimos e muito bem preparados. Outras categorias, como a Força Livre e o próprio track day "Piloto por 1 dia" com carros bem diferentes na pista, como Subaru STI, Renault Megane, até um VW Pointer, o primeiro de pista que vi no Brasil (na Argentina teve bastante).

Enfim, este é o pequeno relato de uma experiência inesquecível, mas que não podia deixar de compartilhar com vocês. Quem sabe não voltaremos para correr na Classic deles? Isso se os políticos de SP deixarem, pois já estão querendo fazer condomínios neste verdadeiro patrimônio histórico do esporte brasileiro, um verdadeiro absurdo. Vou entoar o coro presente em alguns carros de lá: "INTERLAGOS É DO BRASIL!"

Um comentário:

  1. mt legal sua experiência descrita no Blog Niltão...e na companhia do Braga Artur Bragantini , Salinha Maurizio Sala, Cerega e outros teve esse privilégio...e tbm seu engajamento na preservação de Interlagos...pena q talvez por sua idade não teve a sorte de, como nós, ter guiado no antigo traçado...se conhecesse talvez não voltaria pro sul...rss...volte mais vezes!! Abraços
    Marcos Sa

    ResponderExcluir