quinta-feira, 18 de outubro de 2012

De novo... CBA assume comando do Brasileiro de Endurance

Na Copa das Federações tinha Ferrari e Corsinha dividindo a pista...

[Já vi esse filme]: Como uma novela daquelas que repete à tarde, mais uma vez a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) assume o comando do Brasileiro de Endurance (a jovem finada Top Series), após fracassar na mão de um promotor. Aliás, acho que não deveriam mais usar esse nome do campeonato.

A CBA lançou nota hoje (clique para ler) anunciando que, após reunião do CTDN (Conselho Técnico Desportivo Nacional), assumirá o campeonato que está em andamento e ficou à deriva. Segundo o comunicado, serão realizadas as duas etapas previstas (04/11 no RS e 01/12 no PR). Não foram aunciadas as praças, mas provavelmente mantenha-se o previsto (Guaporé e 500 Milhas de Londrina).

Vamos às considerações:
Chamei de "novela", pois é apenas mais um capítulo de Endurance x CBA x promotores. Em 2010 a SRO Latin (que organiza a GT Brasil) também "pulou do barco", deixando a Endurance na mão, e a CBA assumiu o campeonato, nomeando-o de Copa das Federações de Endurance, nome dado porque as Federações estaduais é que organizavam as provas. E assim foi, também na temporada 2011 (foto acima é de Guaporé, abril/2011). Corridas que não tinham um grid muito numeroso, mas aconteciam, pois o regulamento abrangia os carros turismo categoria IV (carros não-GTs), andava com o regional e a inscrição era relativamente acessível aos "mortais".

Agora, resta saber o que fazer para ressucitar o campeonato que já provou que não funciona com o formato atual. Eliminarão a obrigatoriedade de pneus novos e reduzirão preço da inscrição para baixar custos e atrair os protótipos? Farão adendo no regulamento criando categoria para os "turisminhos"?

Se nada for feito nesse sentido, não vislumbro grandes chances. Se bem que 04/11 em Guaporé teremos o Gaúcho de Endurance correndo junto para "salvar a pátria", e em dezembro possivelmente seja junto com as 500 de Londrina, então, creio que será a oportunidade para fechar a conta e passar a régua no campeonato. Sob este aspecto, acho correta a intervenção, pois quem já havia assumido compromissos e montado carro não ficará na mão. Restará explicar pros patrocinadores o porque de não haver mais cobertura na televisão, conforme vendido com base nas promessas do lançamento do campeonato.

Aguardemos.

Foto: Erlon Radl

Um comentário:

  1. Fabiani C Gargioni #2719 de outubro de 2012 21:33

    A esperança é a última que morre Niltão...

    ResponderExcluir