sábado, 6 de outubro de 2012

Mais uma perda em 2012: faleceu Luís Alberto Castro, o "Castrinho"

Castrinho (esq.) nos 41 anos de Tarumã, com os pilotos da Classic Rodyvan e Ratão

O ano de 2012 está sendo duro com os gaúchos amantes da velocidade, levando grandes nomes. Faleceu, na tarde deste sábado (06/10), o grande Luís Alberto Ribeiro Castro, mais conhecido no meio como "Castrinho", num acidente de moto na BR-290, próximo a Butiá, quando colidiu frontalmente com um automóvel VW Fox.

12 Horas 1973, de Fuca! (Arquivo Pessoal/Ricardo Lazzarotto)

Clássico: Aldee #10 com Soldan/Castro/Ribas

Venceu 2009, a mais chuvosa e difícil, ao lado do filho Christian (3º carro)

Nome de pai e filho estampado na carenagem do MRX #28

Além de bem-sucedido empresário do ramo da distribuição de bebidas, era piloto de renome nacional. Iniciou sua carreira em 1973, a bordo de um Fusca, modelo com o qual correu sua primeira - de muitas - 12 Horas de Tarumã. É um dos maiores vencedores da competição, com quatro conquistas: primeiramente com o Aldee #10 no trio clássico Soldan/Castro/Ribas, em 1995 e 1998; em 2002, venceu com o MCR #99 ao lado das feras Paulo Hoerlle, "Nene" Fornari e o mano Vitor Hugo, e, em 2009, com o MRX #28 de fábrica, ao lado do filho Christian, e de Juliano Moro.

Em 1981

Castrinho no seu lugar preferido

Castrinho, F-Ford e o preparador Satti, em 1978

Na F2, em 1984

Piloto completo, também pilotou as "baratinhas" da Fórmula Ford e F2, categoria que teve muitos gaúchos de sucesso.

 Como todo bom piloto, andou de Passatão!

Fiat 147, 1980


No turismo, pilotou de tudo: Fusca, Fiat 147, Passat, Voyage, Escort... Participou do Brasileiro de Marcas com Waldir Buneder, com Voyage e Escort, terminando o campeonato bem colocado, no meio de muitas feras do automobilismo nacional.



Por estas coisas do destino, Castrinho já havia feito dupla com outro piloto falecido em acidente de moto neste ano, Ronaldo Nique, que faleceu em fevereiro, na Freeway. Nique e Castrinho pilotavam um "Chevette Maluco" no Brasileiro de Marcas em 1983, em Tarumã. O Chevette acabou capotado por Castrinho, que nada sofreu. Veja a história aqui.

Castrinho (dir.) comemorando vitória tripla do filho Matheus
(Foto: Divulgação/Vicar)



Recebendo de Janusz troféu de agradecimento por patrocinar o livro dos Jurássicos

Para completar, ainda fez dos filhos Christian e Matheus, grandes pilotos. No último final de semana, Castrinho era só alegria em Tarumã, visto que Matheus venceu as 3 provas de Mini Challenge, e Christian chegou em 2º lugar na Copa Montana. Ironias da vida, infelizmente. Fazia parte do grupo de Pilotos Jurássicos, dos quais eventualmente participo de algumas reuniões, onde tive algum contato com ele, sendo possível notar que é querido por todos. Recentemente foi um dos patrocinadores, através da MM Castro Bebidas, do livro "Das Pistas para a História", que conta várias histórias dos nossos grandes pilotos.

Meus sentimentos à família, e o desejo de que tenham força para superar a perda. Tenham certeza que o Castrinho foi acelerar num grid que tá cheio de "bota" como ele, e tenho certeza que está reservado um lugar nas primeiras filas desse grid para ele. O velório será a partir das 8h no Cemitério São Vicente, e o sepultamento às 17h.

Peguei muitas fotos do Blog do Sanco. Ele, como ninguém, conta as histórias dos grandes nomes do nosso passado. Clique aqui e veja os posts sobre a carreira de Luís Alberto Ribeiro de Castro, lá.

Editado em 07/10/2012 às 11:08

6 comentários:

  1. Roberto Giordani - Coordenador dos Jurássicos7 de outubro de 2012 09:16

    Este ano de 2012 está sendo cruel com a Confraria dos Jurássicos. Carlos Alberto Petry, Ismael Chaves Barcellos e agora nos levou Luis Alberto Ribeiro de Castro.
    Ironicamente, aquilo que lhe dava prazer, também roubou sua vida.
    Difícil este momento para todos que o conheciam por ser o " Estimado Amigo " de sempre.
    Farás muita falta caro irmão.
    Ide na Paz do Criador e a Seu lado que o lugar que por méritos estás, te reune aos grandes nomes do automobilismo que também já partiram.

    ResponderExcluir
  2. Meus pêsames e muita força pra família.
    As coisas lá em cima estão cada vez melhores...
    R.I.P., Castrinho!

    ResponderExcluir
  3. Enorme injustiça. E, com certeza, a noticia que NINGUÉM gostaria de registrar. Aliás, penso que por muito e muito tempo ficaremos pensando em quaõ inacreditável foi o passamento deste grande Amigo de todos nós.
    Para os 'kids', o Vitor Hugo e demais familiares, meu carinho e sentimento.
    Atenciosamente,

    Paulo McCoy Lava

    ResponderExcluir
  4. Para uma pessoa muito especial...descansa em paz...

    ResponderExcluir
  5. O Beto foi uma das pessoas que mais admirei, seja pelo entusiasmo que tinha, sua reputação e a incrível habilidade que tinha de ensinar. Viveu uma vida extraordinária e de grande valor prático com muitas gotas de emoção, êxtase, o que deu muito sentido na vida dos amigos e familiares.
    A partir de agora não lembraremos de como ele morreu mas sim de COMO ele VIVEU.
    Muita força a toda família Castro!!! Estamos com vocês.

    ResponderExcluir